Notícias › 10/05/2018

XIX Caminhada Ecológica Franciscana

(Frei Ludovico Garmus, OFM) – No 1º sábado do mês de maio, como de costume, aconteceu a XIX Caminhada Ecológica Franciscana Petrópolis-Paty do Alferes. A Caminhada é promovida pela Ordem Franciscana Secular de Paty do Alferes, pela Paróquia do Sagrado Coração de Jesus e pelo Instituto Teológico Franciscano de Petrópolis. Graças ao apoio eficiente do Pároco do Sagrado e de sua equipe, o grupo de Petrópolis contou com a participação de mais de 80 pessoas. Além de alguns veículos de apoio e um ônibus, gentilmente cedido pela Empresa Cidade das Hortênsias, dirigimo-nos ao Rocio, até o local do início da caminhada. Ali fizemos uns 20 minutos de oração, antes de nos adentrarmos no templo sagrado da Reserva biológica das Araras e a do Tinguá, generoso presente de Deus, nosso Criador. Participaram da caminhada estudantes franciscanos, paroquianos adultos, crianças da catequese e alunos do Colégio Bom Jesus. Muitas crianças puderam caminhar pela Estrada do Facão, pela primeira vez, em meio à Mata Atlântica. O céu azul, típico do “veranico de maio”, o ar puro e a alegria das crianças, as pequenas paradas para recuperar o fôlego e a partilha de um lanche, tornaram menos penosos os 7,5km percorridos – três de subida e 4,5km de lenta descida – até o ponto de encontro com nossos irmãos de Paty do Alferes.

Os quase 20 anos das Caminhadas Franciscanas têm produzido bons resultados. Temos notícia que em Paty do Alferes há uma consciência cada vez maior do cuidado pela nossa “Casa Comum”. Diminuíram as queimadas “para renovar a pastagem”, entre os pequenos produtores de leite. Com apoio da Prefeitura, a monocultura dos plantadores de tomate (com agrotóxicos) começa a ceder espaço para uma agricultura alternativa saudável, sem agrotóxicos. Os sábados, antes vazios, agora são movimentados pela feira de legumes, frutas e verduras. Mais gente andando pelas ruas e movimentando o comércio da cidade. Nós, de Petrópolis, quase não vimos plásticos e papéis jogados ao longo da Estrada do Facão. Grupos de motociclistas, que percorrem a Estrada do Facão e fazem suas trilhas pela mata, cuidam de ajuntar plásticos e lixo jogados pelo caminho. São exemplos da capacidade humana de cuidar melhor de nossa “irmã e mãe Terra”, mãe de todos os seres vivos. Em Petrópolis, faz-se necessária uma maior consciência por parte do povo sobre a urgência de separar o lixo reciclável. Essa consciência é fruto da educação nas escolas e nas famílias. Às autoridades públicas compete uma vigilante fiscalização dos focos poluidores e dos serviços de coleta permanente do lixo. Assim, os cidadãos vão sentir-se melhor em sua casa comum e os turistas serão mais bem acolhidos.

 

Fonte: http://www.itf.org.br/xix-caminhada-ecologica-franciscana.html

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.