Notícias › 25/09/2017

Província e FIMDA acolhem novos professos

Érika Augusto

Petrópolis – Domingo de clima ameno na Cidade Imperial. Por volta das 9h30 a movimentação já era grande na igreja do Sagrado Coração de Jesus. Paroquianos, amigos, familiares, religiosas e muitos frades reunidos para a Profissão Solene de Frei Ermelindo Francisco Bambi, Frei João Alberto Bunga e Frei José Raimundo de Souza. Os dois primeiros pertencem à Fundação Imaculada Mãe de Deus de Angola (FIMDA) e Frei José à Província Franciscana da Imaculada Conceição.

“O momento mais importante da vida de um frade”, como definiu Frei João Alberto, aconteceu dentro da Celebração Eucarística das 10h. O Ministro Provincial, Frei Fidêncio Vanboemmel, presidiu a celebração, ao lado dos diáconos Frei Alan Maia de França e Frei Vanderlei Silva Neves. Concelebraram frades de diversas fraternidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo e Paraná e Santa Catarina. O Vigário Provincial, Frei César Külkamp, esteve presente, assim como o Definidor, Frei João Francisco da Silva; o Guardião da Fraternidade local, Frei Jorge Schiavini; o pároco, Frei James Girardi; o Mestre do Noviciado, Frei Samuel Ferreira de Lima; da Filosofia, Frei Rodrigo da Silva Santos e da Teologia, Frei Marcos Andrade A missa contou ainda com a presença do Coral dos Canarinhos de Petrópolis, que tornou o momento ainda mais especial. A missa foi transmitida ao vivo pelo Facebook da Paróquia e pela Rádio Imperial, de Petrópolis.

Após a proclamação do Evangelho, os três jovens frades foram chamados por Frei Marcos Andrade. Ao chamado, cada um respondeu: “Aqui estou”. Em seguida, o Mestre leu um breve histórico da formação de cada um.

Em sua homilia, Frei Fidêncio recordou que os frades, ao final do Noviciado, fizeram a Primeira Profissão, que é renovada anualmente. Mas que a Profissão Solene celebrada neste domingo, tinha um grande diferencial. “Hoje, as palavras que vocês irão pronunciar são as mesmas, mas com um detalhe de suma importância e que determina e dá o tom a toda esta celebração da Profissão Solene: eu faço votos a Deus Pai Onipotente Todo Poderoso, de viver por todo o tempo da minha vida o Santo Evangelho em pobreza, obediência e castidade, que é a essência fundamental da vida religiosa franciscana; a vida em Fraternidade, constituída por irmãos formados pelo Senhor, irmãos espirituais; seguir a Constituições Gerais da Ordem, o que diz com clareza o que é a nossa forma de vida, nosso projeto evangélico; a serviço e pelo bem do povo de Deus”, disse, frisando que este voto é feito por toda a vida e não somente por um ano. “Esta vida, segundo o Santo Evangelho, esta vida em fraternidade, esta vida vivida segundo as exigências legais, nós não vivemos esta vida em função de nós mesmos ou para dentro de nós mesmos. Nós vivemos esta vida a serviço da Igreja de Deus, do povo de Deus”, acrescentou o Ministro Provincial.

profissao_240917-destFrei Fidêncio sinalizou três indicações, extraídas da liturgia do 25º domingo do Tempo Comum: empenho de buscar sempre o Senhor, viver em Cristo e deixar-se conduzir pelos critérios do amor de Deus. “Recomeçar: uma palavra que Francisco de Assis também gosta. Recomeçar, começar sempre de novo. A nossa vida penitencial, a nossa vida franciscana, a nossa vida cristã é sempre um recomeçar. O recomeçar a confrontar-se com Deus. Recomeçar a deixar Deus ser o centro da nossa existência e nos lançar com confiança nos caminhos do Senhor”, exortou.

Destacando a segunda leitura, o frade falou sobre a importância de morrer para si mesmo. “Cada um de nós, sobretudo nós, irmãos menores, precisamos transmitir através da nossa vida o brilho do Senhor Jesus. E para viver esse brilho do Senhor Jesus, é preciso que a gente faça a experiência de morrer para si mesmo. E a vocação religiosa é exatamente isso, morrer para si, para deixar o brilho de Deus crescer na vida religiosa que vocês vão professar solenemente”, disse. “O decisivo da nossa vida é a resposta generosa que nós daremos a Deus na hora do nosso chamado, na hora da nossa convocação. O decisivo é viver segundo a forma do Santo Evangelho”, concluiu.

Após a homilia e a Ladainha dos Santos, deu-se continuidade no rito da Profissão Solene. Cada um fez o seguinte pedido:

Para louvor e glória da Santíssima Trindade, eu, movido por inspiração divina a seguir mais de perto o Evangelho e os passos de Nosso Senhor Jesus Cristo, perante os irmãos aqui presentes, em tuas mãos, Frei Fidêncio Vanboemmel, com firme vontade e propósito, faço voto a Deus Pai Santo e Todo-Poderoso, de viver por todo o tempo de minha vida, em obediência, sem nada de próprio e em castidade. Ao mesmo tempo, prometo observar fielmente a vida e a Regra dos Frades Menores, confirmada pelo Papa Honório, segundo as Constituições Gerais da Ordem dos Frades Menores. Entrego-me, pois, de todo o coração a esta Fraternidade, para que, pela ação do Espírito Santo, a exemplo de Maria Imaculada, por intercessão de nosso Pai São Francisco e de todos os santos, e com a ajuda dos irmãos, eu possa chegar à perfeição da caridade no serviço de Deus, da Igreja e da humanidade.

 

Os frutos dos 27 anos da Missão em Angola

Nos agradecimentos, Frei Ermelindo recordou que há exatos 27 anos, a Província Franciscana da Imaculada Conceição iniciava a Missão em Angola. Hoje, com a Profissão Solene destes dois frades angolanos, a FIMDA possui seis professos solenes. Frei Samuel, Mestre de Noviços, foi missionário em Angola e afirma que hoje, ao ver estes jovens professando solenemente, sente que a graça de Deus atuando e dando frutos. “Interessante ver o processo de crescimento, a caminhada, alguns deles foram aspirantes enquanto eu estava lá. Então você vê toda a caminhada, o desenvolvimento da pessoa, os frutos de todo um trabalho. Quando eu vejo eles ali, fazendo a Profissão, você faz um retrospecto de tudo o que foi vivenciado no tempo da guerra, os esforços. A forma como a graça de Deus vai atuando, mesmo no meio de toda esta vivência conturbada, de situações difíceis, você vê a graça de Deus agindo e vendo os jovens despontando para o carisma, sendo o futuro do carisma franciscano em Angola”, afirmou.

Antes de encerrar a celebração, Frei Fidêncio agradeceu aos benfeitores do Pró-Vocações e Missões Franciscanas, pela contribuição na formação dos frades e na manutenção da Missão em Angola. Em seguida, chamou todos os frades angolanos no presbitério para cantar uma canção e agradecer pela celebração.

Fontes: http://www.franciscanos.org.br/?p=141559

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com