Espiritualidade › 03/10/2017

Novena a São Francisco de Assis

 

 

A Ordem Seráfica Franciscana (OFM, OFMConv, OFMCap, OSC, OFS e TOR) realiza o novenário em honra ao nosso Seráfico Pai São Francisco de Assis em preparação para a sua solenidade.

 

 


Nono dia de Novena

Tema: Transitus de do Pai São Francisco (São Francisco e a irmã morte corporal)

Leitura da Legenda Maior de São Boaventura
Sua admirável paciência e morte
5. Chegada a hora, ele mandou chamar para perto de si todos os irmãos então presentes e. com algumas palavras de consolo para amenizar o pesar dos que ficavam, exortou-os de todo coração de pai a amar a Deus. Acrescentou algumas palavras sobre a paciência, a pobreza, a fidelidade à Igreja Romana, recomendando-lhes o santo Evangelho acima de qualquer Constituição. Enfim, estendeu as mãos sobre todos os irmãos que o cercavam, com os dois braços em cruz, como sempre apreciara esse gesto, e abençoou a todos seus irmãos, ausentes e presentes, em nome do Crucificado e por seu poder. Acrescentou: “Temei ao Senhor, meus filhos, e permanecer sempre unidos a ele. Virá a tentação, e a tribulação está perto, mas felizes aqueles que perseverarem até ao fim. De minha parte, volto para meu Deus e vos deixo confiados à sua graça”. Mandou trazer o livro dos Evangelhos e pediu que lessem a passagem de São João que assim começa: “Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que chegara a sua hora de passar deste mundo ao Pai, havendo amado os seus que estavam no mundo, até o extremo os amou…” (Jo 13,1). E reunindo suas pobres forças, começou a recitar o salmo que principia: “Lanço um grande brado ao Senhor, em alta voz imploro ao Senhor”, até as últimas palavras: “Os justos virão me rodear, quando me fizerdes este benefício” (Sl 141,1-8).
6. Cumpridos enfim todos os desígnios de Deus em Francisco, sua alma santíssima livrou-se da carne para ser absorvida no abismo da claridade de Deus, e dormiu tranqüilamente no Senhor. Um de seus irmãos e discípulos viu sua alma subindo para o céu na forma de uma estrela esplêndida levada por uma branca nuvem por cima de imensa extensão de água, alma refulgente nos esplendores de sua sublime santidade e transbordante das riquezas da graça e da sabedoria do céu, que valeram ao santo penetrar na mansão de luz e de paz, onde ele goza agora do repouso eterno.
EM LOUVOR DE CRISTO!
Amém.

Oração: Ó glorioso Deus altíssimo,
iluminai as trevas do meu coração,
concedei-me uma fé verdadeira,
uma esperança firme e um amor perfeito.
Dai-me! Senhor, o reto sentir e conhecer,
a fim de que possa cumprir
o sagrado encargo
que na verdade acabais de dar-me.
Amém.

Pai nosso…
Ave Maria…
Glória ao Pai…

Fonte: http://ssfa.com.br/novena-de-sao-francisco-nono-dia/


Oitavo dia de Novena

Tema: São Francisco e o espírito de santa paciência

Leitura das admoestações de São Francisco
13ª ADMOESTAÇÃO: DA PACIÊNCIA

1 bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus. O servo de Deus não pode saber quanta paciência e humildade tem em si, enquanto está satisfeito consigo. 2 Quando, porém, chegar o tempo em que os que deveriam satisfazê-lo, fazem-lhe o contrário, quanta paciência e humildade aí tiver, tanta tem e nada mais.
EM LOUVOR DE CRISTO!
Amém.

Oração: Ó glorioso Deus altíssimo,
iluminai as trevas do meu coração,
concedei-me uma fé verdadeira,
uma esperança firme e um amor perfeito.
Dai-me! Senhor, o reto sentir e conhecer,
a fim de que possa cumprir
o sagrado encargo
que na verdade acabais de dar-me.
Amém.

Pai nosso…
Ave Maria…
Glória ao Pai…

Fonte: http://ssfa.com.br/novena-de-sao-francisco-de-assis-oitavo-dia/


Sétimo dia de Novena

Tema: São Francisco e a pureza de coração

Leitura das admoestações de São Francisco

16ª ADMOESTAÇÃO: DA PUREZA DE CORAÇÃO
1 “Bem-aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus” (Mt 5,8).
2 Têm o coração puro os que, desprezando as coisas terrenas, procuram as celestiais e, de coração e espírito puros, não cessam de adorar e de ver sempre o Deus vivo e verdadeiro.
EM LOUVOR DE CRISTO!
Amém.

Oração: Ó glorioso Deus altíssimo,
iluminai as trevas do meu coração,
concedei-me uma fé verdadeira,
uma esperança firme e um amor perfeito.
Dai-me! Senhor, o reto sentir e conhecer,
a fim de que possa cumprir
o sagrado encargo
que na verdade acabais de dar-me.
Amém.

Pai nosso…
Ave Maria…
Glória ao Pai…

Fonte: http://ssfa.com.br/novena-de-sao-francisco-de-assis-setimo-dia/


Sexto dia de Novena

Tema: São Francisco e a devoção a Santíssima Virgem

Leitura: Da Legenda Maior de São Boaventura
Devoção a Santa Maria dos Anjos

Baseado já na humildade de Cristo, Francisco evoca à memória, a obediência a si imposta pela cruz de reparar a igreja de São Damião e, na qualidade de verdadeiro obediente, retornou a Assis para obedecer à voz divina, ao menos mendigando. Vencida toda a vergonha pelo amor do pobre crucificado, pedia esmola àqueles entre os quais costumava esbanjar riqueza, sujeitando o corpo débil e enfraquecido pelo jejum ao peso das pedras. Refeita, pois, a dita igreja, com a ajuda do Senhor e assistência devota dos cidadãos, para o corpo não entorpecer, depois do trabalho, por indolência, mudou-se para reparar a igreja de São Pedro, mais distante da cidade, pela devoção especial que nutria pelo Príncipe dos Apóstolos, com a pureza de uma fé sincera. Terminada esta igreja, chegou ao lugar chamado de Porciúncula, onde ainda existia a igreja da beatíssima Virgem, mãe de Deus, construída, há muito tempo, mas, então, deserta, ninguém a cuidava. Ao vê-la assim, abandonada, o homem de Deus, pela devoção ardente que nutria pela Senhora do mundo, começou a morar nela assiduamente para repará-la. Sentindo, porém, no próprio nome da igreja, chamada desde antigamente de Santa Maria dos Anjos, a frequente das visitas dos anjos, fixou-se ali devido À reverência dos anjos e o amor precípuo da Mãe de Cristo. O santo homem amava este lugar mais do que qualquer outro lugar do mundo; pois foi aqui que, humildemente, começou e progrediu na virtude, e que, com felicidade, terminou e, na morte, o recomendou aos Irmãos, como o lugar mais querido da Virgem (…).
EM LOUVOR DE CRISTO!

Amém.

Oração: Ó glorioso Deus altíssimo,
iluminai as trevas do meu coração,
concedei-me uma fé verdadeira,
uma esperança firme e um amor perfeito.
Dai-me! Senhor, o reto sentir e conhecer,
a fim de que possa cumprir
o sagrado encargo
que na verdade acabais de dar-me.
Amém.

Pai nosso…
Ave Maria…
Glória ao Pai…

Fonte:http://ssfa.com.br/novena-de-sao-francisco-sexto-dia/


Quinto dia de Novena

Tema: São Francisco e a devoção a São Miguel Arcanjo

Leitura da legenda maior de São Boaventura
Dos sagrados estigmas.
1. 1 Francisco, homem angélico, tinha por costume nunca perder tempo na busca do bem; antes, como os espíritos supernos na escada de Jacó, ou subia para Deus ou descia para o próximo. 2 Pois aprendera a dividir o tempo que lhe fora concedido para o merecimento de maneira tão prudente que dedicava uma parte para lucros laboriosos do próximo; outra, para os tranquilos excessos da contemplação. 3 Por isso, depois de ter se empenhado, segundo as exigências dos lugares e dos tempos, na busca da salvação, abandonando as inquietações das turbas, procurava os segredos da solidão e um lugar de sossego, onde, entregando-se mais livremente ao Senhor, limpasse o pó que porventura pudesse ter recebido por viver no meio das pessoas. 4 Por isso, dois anos antes de entregar seu espírito ao céu, foi conduzido pela divina providência, depois de múltiplos trabalhos, para um lugar elevado e solitário chamado Monte Alverne. 5 Por isso, como, de acordo com o seu costume, começasse a jejuar para fazer a quaresma de São Miguel Arcanjo, ficou transbordante pela doçura da contemplação superna, mais do que habitualmente, e, aceso pela chama mais ardente dos desejos celestes, começou a sentir num acúmulo maior os dons dos derramamentos celestes que nele se faziam. 6 Era carregado para o alto, não como curioso esquadrinhador da majestade para ser oprimido pela glória, mas como um servo fiel e prudente, investigando o que era agradável a Deus, a quem desejava conformar-se de todas as maneiras com o maior ardor.
EM LOUVOR DE CRISTO!

Amém.

Oração: Ó glorioso Deus altíssimo,
iluminai as trevas do meu coração,
concedei-me uma fé verdadeira,
uma esperança firme e um amor perfeito.
Dai-me! Senhor, o reto sentir e conhecer,
a fim de que possa cumprir
o sagrado encargo
que na verdade acabais de dar-me.
Amém.

Pai nosso…
Ave Maria…
Glória ao Pai…

Fonte: http://ssfa.com.br/novena-de-sao-francisco-quinto-dia/


 Quarto dia de Novena

Tema: São Francisco e a devoção a Santíssima Eucaristia

Leitura das admoestações de São Francisco

1ª ADMOESTAÇÃO: DO CORPO DO SENHOR
1 Disse o Senhor Jesus aos seus discípulos: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém chega ao Pai senão por mim. 2 Se me reconhecêsseis conheceríeis também o Pai. Doravante o conheceis porque o vistes. 3 Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai e isto nos basta. 4 Jesus respondeu-lhe: há tanto tempo estou convosco e não me conheceis? Filipe, quem me vê, vê também meu Pai” (Jo 14,6-9). 5 “O Pai habita numa luz inacessível” (1Tm 6,16), e: “Deus é um espírito” (Jo 4,26) e “ninguém jamais viu a Deus” (Jo 1,18). 6 Se Deus é espírito, só em espírito pode ser visto; 7 pois “o espírito é que dá a vida, a carne não aproveita para nada” (Jo 6,63). 8 Mas também o Filho, sendo igual ao Pai, não pode ser visto por alguém de modo diferente que o Pai e o Espírito Santo. 9 Por isso são infames todos aqueles que viram o Senhor Jesus Cristo em sua humanidade sem enxergá-lo segundo o espírito e a divindade e sem crer que Ele é o verdadeiro Filho de Deus. 10 De igual modo são hoje em dia infames todos aqueles que – embora vendo o sacramento do corpo de Cristo que, pelas palavras do Senhor, se torna santamente presente sobre o altar, sob as espécies de pão e vinho, nas mãos do sacerdote – não olham segundo o espírito e a divindade, nem crêem que se trata verdadeiramente do corpo e do sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo. Atesta-o pessoalmente o Altíssimo quando diz: 11 “Este é o meu corpo e o sangue da nova Aliança” (cf. Mc 14,22); e: 12 “Quem comer a minha carne e beber o meu sangue terá a vida eterna” (cf. Jo 6,55). 13 Por isso é o Espírito do Senhor, que habita nos seus fiéis, quem recebe o santíssimo corpo e sangue do Senhor (cf. Jo 6,62). 14 Todos aqueles que não participam desse espírito e no entanto ousam comungar, “comem e bebem a sua condenação” (1 Cor 11,29). 15 Portanto, “ó filhos dos homens, até quando tereis duro o coração?” (Sl 4,3). Por que não reconheceis a verdade “nem credes no Filho de Deus” (Jô 9,35)? 16 Eis que Ele se humilha todos os dias (Fl 2,8); tal como na hora em que, “descendo do seu trono real” (Sb 18,5) para o seio da Virgem, 17 vem diariamente a nós sob aparência humilde; 18 todos os dias desce do seio do Pai sobre o altar, nas mãos do sacerdote. 19 E como apareceu aos santos apóstolos em verdadeira carne, também a nós se nos mostra hoje no pão sagrado. 20 E do mesmo modo que eles, enxergando sua carne, não viam senão sua carne, contemplando-o contudo com seus olhos espirituais creram nele como no seu Senhor e Deus (cf. Jo 20,28), 21 assim também nós, vendo o pão e o vinho com os nossos olhos corporais, olhemos e creiamos firmemente que está presente o santíssimo corpo e sangue vivo e verdadeiro. 22 E desse modo o Senhor está sempre com os seus fiéis, conforme Ele mesmo diz: 23 “Eis que estou convosco até a consumação dos séculos” (Mt 28,20).
EM LOUVOR DE CRISTO!
Amém.

Oração: Ó glorioso Deus altíssimo,
iluminai as trevas do meu coração,
concedei-me uma fé verdadeira,
uma esperança firme e um amor perfeito.
Dai-me! Senhor, o reto sentir e conhecer,
a fim de que possa cumprir
o sagrado encargo
que na verdade acabais de dar-me.
Amém.
Pai nosso…
Ave Maria…
Glória ao Pai…

Fonte: http://ssfa.com.br/novena-de-sao-francisco-quarto-dia/


Terceiro dia de Novena

Tema: São Francisco e Assis e o espírito de santa humildade

Leitura das admoestações de São Francisco

19ª ADMOESTAÇÃO DO HUMILDE SERVO DE DEUS
1 Bem-aventurado o servo que não se tem por melhor, quando é engrandecido e exaltado pelos homens do que quando é tido por vil, simples e desprezado.
2 Porque, quanto é o homem diante de Deus, tanto é por em si mesmo e nada mais. 3 Ai daquele religioso que é enaltecido pelos outros e por própria vontade não quer descer. 4 E bem-aventurado aquele servo que não se enaltece por própria vontade e sempre deseja estar sob os pés dos outros.
EM LOUVOR DE CRISTO.
Amém!

Oração: Ó glorioso Deus altíssimo,
iluminai as trevas do meu coração,
concedei-me uma fé verdadeira,
uma esperança firme e um amor perfeito.
Dai-me! Senhor, o reto sentir e conhecer,
a fim de que possa cumprir
o sagrado encargo
que na verdade acabais de dar-me.
Amém.
Pai nosso…
Ave Maria…
Glória ao Pai…

Fonte: http://ssfa.com.br/novena-de-sao-francisco-terceiro-dia/


Segundo dia de Novena

Tema: São Francisco e a pobreza de espírito

Leitura das admoestações de São Francisco
14ª ADMOESTAÇÕES: DA POBREZA DE ESPÍRITO
1 “Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus” (Mt 5,3). 2 São muitos os que insistem nas orações e nos ofícios e fazem muitas a abstinências e aflições em seus corpos. 3 Mas por causa de uma só palavra que lhes pareça injuriar seus corpos, ou por causa que se lhes tire, escandalizados imediatamente se perturbam. 4 Estes não são pobres de espírito. Porque quem é verdadeiramente pobre de espírito odeia a si mesmo (cf. Lc 14,26; Jo 12,25) e ama aos que lhe batem na face (Mt 5,39). EM LOUVOR DE CRISTO! Amém.
Oração: Ó glorioso Deus altíssimo,
iluminai as trevas do meu coração,
concedei-me uma fé verdadeira,
uma esperança firme e um amor perfeito.
Dai-me! Senhor, o reto sentir e conhecer,
a fim de que possa cumprir
o sagrado encargo
que na verdade acabais de dar-me.
Amém.
Pai nosso…
Ave maria…
Glória ao Pai…

Fonte: http://ssfa.com.br/novena-de-sao-francisco-segundo-dia/


Primeiro dia de Novena

Tema: São Francisco e a Perfeita Obediência

Leitura das admoestações de São Francisco:
3ª ADMOESTAÇÃO: DA OBEDIÊNCIA PERFEITA
1. Diz o Senhor no Evangelho: “Quem não renuncia a tudo que possui não pode ser meu discípulo” (Lc 14,33), 2 e: “Quem quiser salvar sua alma, perdê-la-á” (Mt 16,25). 3 Abandona tudo quanto possui e perde seu corpo o homem que a si mesmo se ofereci todo à obediência nas mãos de seu prelado. 4 E tudo quanto faz e diz, sabendo não ser contra a vontade dele, e sendo bom o que faz, é obediência verdadeira. 5 E sempre que o súdito perceber coisas melhores e mais útil à sua alma que as ordenadas pelo prelado, sacrifique voluntariamente as suas a Deus, e empenhe-se em plenificar em obra as coisas que são do prelado, 6 pois essa e a caritativa obediência porque satisfaz a Deus e ao próximo. 7 E se o prelado ordenar algo contra a alma, não lhe é lícito obedecer-lhe, mas não se separa dele. 8 E se, por isso, tiver de suportar perseguição de alguns, ame-os mais diligentemente por causa de Deus. 9 Pois, quem prefere sustentar perseguição a querer separar-se de seus irmãos, permanece verdadeiramente na perfeita obediência, porque expõe sua alma “por seus irmãos” (Jo 15,13). 10 Há, pois, muitos religiosos que, em vista de coisas melhores do que as ordenadas por seus prelados, “olham para trás” (Lc 9,62) e “retornam ao vômito de sua vontade própria” (Pr 26,11). Esses são homicidas e, por seus maus exemplos, põe a perder muitas almas.
EM LOUVOR DE CRISTO.
Amém!

Oração: Ó glorioso Deus altíssimo,iluminai as trevas do meu coração, concedei-me uma fé verdadeira, uma esperança firme e um amor perfeito. Dai-me! Senhor, o reto sentir e conhecer, a fim de que possa cumprir o sagrado encargo que na verdade acabais de dar-me. Amém.
Pai nosso…
Ave Maria…
Glória ao Pai…

Fonte: http://ssfa.com.br/novena-de-sao-francisco-de-259-a-310/

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com