Espiritualidade › 27/06/2018

Não julgueis

Caríssimos, o viver em comunidade é uma grande oportunidade que Deus nos dá para para o exercício das virtudes eternas, todavia, depende sempre de nossa cooperação. Ora, quem vive os valores eternos do amor, perdão, compreensão, etc. que Deus nos concede, colhe sempre frutos de unidade e de paz; quem não os vive tem a alma dilacerada pelos tormentos das tentações, do desassossego, da intolerância e do falso julgamento que frequentemente tende à condenar os outros mesmo que sejam inocentes.

De fato, quem olha o próximo a partir das faltas por ele cometidas, se perde, porque se esquece que também as comete de igual modo ou ainda piores. Meditemos, então, com São Paulo a seguinte exortação: “Assim, és inescusável, ó homem, quem quer que sejas, que te arvoras em juiz. Naquilo que julgas a outrem, a ti mesmo te condenas; pois tu, que julgas, fazes as mesmas coisas que eles. Ora, sabemos que o juízo de Deus contra aqueles que fazem tais coisas corresponde à verdade.
Tu, ó homem, que julgas os que praticam tais coisas, mas as cometes também, pensas que escaparás ao juízo de Deus?”

Caríssimos, a regra de ouro que Jesus nos dá para a unidade perene da comunhão fraterna é esta: “Sede misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso. Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados; dai, e dar-se-vos-á. Colocar-vos-ão no regaço medida boa, cheia, recalcada e transbordante, porque, com a mesma medida com que medirdes, sereis medidos vós também.”

Portanto, a vida em comunidade só é possível quando conduzidos pelo Santo Espírito, pomos em prática os mandamentos do amor a Deus e ao próximo como o Senhor nos ensinou: “Respondeu Jesus: Amarás o Senhor teu Deus de todo teu coração, de toda tua alma e de todo teu espírito (Dt 6,5). Este é o maior e o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás teu próximo como a ti mesmo (Lv 19,18).” Sim, porque o primeiro amor de nossa vida é Deus e quem o ama sobre todas as coisas, é capaz de amar também, por seu amor, até mesmo os inimigos e perseguidores, pois esses ainda não entendem que só o amor os poderá salvar.

Paz e Bem!

Frei Fernando Maria OFMConv.

Fonte: http://brasilfranciscano.blogspot.com/

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.