Espiritualidade › 13/06/2018

Grande coração

(Frei Venildo Trevizan) – Vivemos numa sociedade de relações mercantilizadas. A correria e a pressa são as constantes do dia a dia. Tem que correr porque “o tempo é dinheiro”. Não pode perder tempo. Tudo tem que ser acionado e resolvido o mais rápido possível.

Enquanto houver essa correria, a saúde estará ameaçada, a convivência com a família ficará em segundo plano e o cultivo pessoal não terá nem espaço e nem tempo. Surgirão problemas cardíacos, problemas circulatórios e outros que, se não forem controlados, levarão à depressão e até à morte. Essa será de fato uma questão de vida ou de morte.

Faltam cuidados mais sérios para com os sentimentos, as emoções e o relacionamento com os demais. Falta o cultivo de uma convivência mais saudável, de uma atenção mais carinhosa, de um “perder tempo” com os familiares. Falta recolhimento para uma purificação interior. Falta saber que tudo é sagrado, tudo é necessário para poder celebrar conquistas, para partilhar sucessos e para comungar alegrias.

Urge cultivar o amor próprio e também a auto estima. Urge reservar tempo e espaço para o descanso, para a reflexão e para a oração que seja expressão de contentamento pelas conquistas e seja gratidão pelos dons recebidos.

Urge reservar tempo e espaço para olhar no espelho da alma a própria vida e reconhecer as grandezas e as fraquezas que nos acompanham e que efetivam tantos sonhos e tantos anseios.

Não resta a menor dúvida quanto a necessidade de um cultivo mais aprimorado e mais sério dos dons e das capacidades. Não podemos continuar pensando que só o dinheiro nos fará felizes. Sabemos que não. Sabemos que o dinheiro será causa de preocupações e até de dor de cabeça.

Mesmo assim há quem continue numa luta desenfreada para ter sempre mais e produzir sempre mais. Existem os insaciáveis. Continuam sendo eternos perseguidores das riquezas, da fama e de outras grandezas que o mundo do mercado inspira.

Esquecem que a maior riqueza é a vida com saúde e paz de consciência. E quando sintonizarem essa verdade, o coração palpitará harmoniosamente, a consciência alimentará alegrias e contentamentos, os gestos expressarão sentimentos de amor e de solidariedade e as palavras serão sempre de gratidão e de louvor.

E a vida será vivida na paz do Senhor. E Deus terá sempre um lugar de honra no coração e nos empreendimentos, pois a ele dedicará momentos nobres de oração. E a ele confiará todas as iniciativas. Prestará atenção a seus apelos com o coração feliz.

Esse coração, fonte de sentimentos, certamente estará aberto acolhendo e confortando outros corações inquietos, outras almas sofridas e outros seres humanos perdidos no mundo da droga, da violência, da fome e da miséria.

Esse coração renovará a vida e as atitudes de todos quantos conviverem. Não haverá mais correrias. Não haverá mais sufoco. Não haverá mais pressa. Tudo será alegria, serenidade e contentamento. Tudo será novo e saudável. Haverá tempo para a reflexão, para a gratidão e para o louvor. E o coração voltará a ter paz.

Fonte: http://www.capuchinhos.org.br/artigos/detalhes/reflexoes/grande-coracao

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com