Notícias › 11/06/2018

Giro de notícias com Papa Francisco

Papa aos jovens: “Felicidade é amar a Deus e aos outros”

Novamente este ano, o Papa Francisco entrou em conexão ao vivo com os jovens participantes da Marcha Noturna de Macerata-Loreto, pedindo a todos que procurem a felicidade que consiste em amar e deixar-se amar.

Cidade do Vaticano

“A vida é uma jornada, sempre à frente, procurando a felicidade, para nós e para os outros”: foi o que disse o Papa Francisco em telefonema aos participantes da tradicional Peregrinação Macerata-Loreto. No evento, dezenas de milhares de jovens caminharam à noite 28 km. entre as colinas da região italiana das Marcas para chegar à Santa Casa de Loreto.

Na vida não se pode ficar parado

“Homens corajosos em caminho … é um bom sinal” – disse o Papa – porque “na vida que você não pode ficar parado e um jovem parado é como um aposentado de 20 anos… e esta é uma coisa ruim”. A juventude – especificou – deve ser vivida, “ir em frente e dar frutos”.

A felicidade é amar e deixar-se amar

“A felicidade – continuou ele – não é algo que pode ser comprado no supermercado; a felicidade só vem em amar e ser amado, amar os outros. Guerras não te dão felicidade, inimizades não te dão felicidade, tagarelice não te dá felicidade”. 

“ Amor e serviço uns pelos outros: caminho para a felicidade ”

A tocha da paz através dos lugares do terremoto

O evento nasceu em 1978 graças à ideia de um sacerdote, Padre Giancarlo Vecerrica, agora bispo emérito de Fabriano-Matelica, como um gesto de agradecimento dos alunos a Virgem Maria, no final do ano escolar. O evento começou à tarde no estádio de Macerata, onde os jovens estavam esperando a chegada da Tocha da Paz, abençoada alguns dias atrás por Francisco na Praça São Pedro e levada por 35 atletas passando pelos lugares do terremoto. A marcha a pé começou após a missa presidida pelo Cardeal Marc Ouellet, Prefeito da Congregação para os Bispos, com a participação do Cardeal Edoardo Menichelli, arcebispo emérito de Ancona-Osimo, e os bispos das Marcas.

O testemunho de dois jovens nigerianos

Na sua homilia, o Cardeal Ouellet dirigiu-se aos jovens recordando a mensagem do Papa Francisco para a Jornada Mundial da Juventude: “O que é que mais o preocupa? Um medo que existe em muitos de vocês é não ser amado … Saibam que a Igreja confia em vocês; confiem na Igreja. Aceitam o desafio?”

Foram tocantes os testemunhos de dois jovens nigerianos que chegaram há dois anos do mar, escapando dos mercadores de escravos e da morte, e depois recebidos com amor na Itália.

Fonte: https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2018-06/papa-francisco-jovens-felicidade-macerata-loreto.html


Papa: “Encontro de Singapura garanta futuro de paz”

Francisco disse esperar que a cúpula que reunirá o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o presidente estadunidense, Donald Trump, em Singapura na próxima terça-feira (12/06) contribua para a paz na península coreana e em todo o mundo.

Cidade do Vaticano

Papa Francisco disse esperar que a cúpula que reunirá o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o presidente estadunidense, Donald Trump, em Singapura na próxima terça-feira (12/06) contribua para a paz na península coreana e em todo o mundo.

Após a tradicional oração do Angelus na sacada do Palácio Pontifício, Francisco se referiu à histórica reunião de Singapura, onde pela primeira vez se reunirão os governantes dos dois países.

“ Que possa contribuir ao desenvolvimento de um caminho positivo, que assegure um futuro de paz para a península e o mundo inteiro ”

Na sequência, Francisco convidou os fiéis a rezarem “à Virgem Rainha da Coreia para que acompanhe as negociações”.

História

O Pontífice, que visitou a Coreia do Sul em agosto de 2014, enviou diversas mensagens por ocasião das diferentes reuniões e gestos realizados em vistas da pacificação da península.

As duas Coreias estão separadas desde agosto de 1945, quando Estados Unidos e União Soviética concordaram em dividir o país no 38º paralelo: os estadunidenses ocupariam a parte sul, os soviéticos, a norte. Mesmo tendo sido feitas várias tentativas para levar à reunificação, a divisão se perpetuou e hoje, a fronteira é uma das mais hostis e pesadamente militarizadas do mundo. E o povo continua dividido em dois.

Fonte: https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2018-06/papa-angelus-coreia-futuro-paz.html


Com testemunho de Francisco, fiéis cobram mais de seus pastores

Com seu despojamento, o Papa Francisco tornou-se um termômetro para todos nós e para os leigos, que de certa forma às vezes chegam a cobrar isso de seus pastores. “Interessante como que o povo faz esse paralelo”, observa o bispo da diocese mineira de Almenara, Dom José Carlos Brandão Cabral.

Raimundo de Lima – Cidade do Vaticano

Amigo ouvinte, nesta edição do quadro “Nova Evangelização e Concílio Vaticano II” damos continuidade à precedente, na qual nosso convidado destes dias, o bispo da Diocese de Almenara – MG, Dom José Carlos Brandão Cabral, voltou seu olhar para o aspecto pastoral – feito de acolhimento e proximidade –, a partir do Papa Francisco.

Entre outras coisas, Dom Cabral disse perceber o seguinte: “nossos bispos do Brasil, a partir do Papa Francisco, têm se despojado, têm se tornado homens simples, nos trajes, no modo de ser”.

Ao afirmar que o Papa se apresenta como um grande profeta da atualidade, o bispo de Almenara disse que Francisco “dá testemunho de um pastoreio simples, a exemplo do próprio Cristo que é o Sumo Sacerdote, o Sumo Pastor”.

Pois bem, nessa mesma linha na edição de hoje nosso convidado diz que o Santo Padre evangeliza através de frases curtas, que são depois lançadas nas redes e que os leigos estão passando isso para frente; cita também as pregações de Francisco na missa diária na Capela da Casa Santa Marta como momento frutuoso de evangelização.

Com seu despojamento, afirma o bispo de Almenara, o Papa Francisco tornou-se um termômetro para todos nós e para os leigos, que de certa forma às vezes chegam a cobrar isso de seus pastores. “Interessante como que o povo faz esse paralelo… o Papa Francisco não é assim…”, observam.

Nosso convidado tece tais considerações ao nos responder se, com o exemplo de despojamento, desprendimento e simplicidade dado pelo Papa Francisco,  há uma maior cobrança por parte dos fiéis em relação a seus pastores. Vamos ouvir (ouça na íntegra clicando acima).

Fonte: https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2018-06/dom-cabral-testemunho-papa-francisco-fieis-cobram-seus-pastores.html


JMJ Panamá: preparativos entram na reta final

Delegados de 80 países concluíram no domingo, 10 de junho, o 2º Encontro preparatório para a JMJ de janeiro. Ouça os padres Alexandre Awi Mello, João Chagas e os jovens brasileiros.

Bianca Fraccalvieri – Cidade do Vaticano

Os preparativos para a Jornada Mundial da Juventude do Panamá em 2019 entraram em sua reta final.

Delegados de 80 países concluíram no domingo, 10 de junho, o 2º Encontro preparatório para a JMJ de janeiro.

O Secretário do Pontifício Conselho para os Leigos, a Família e a Vida, Padre Alexandre Awi Mello, fez um balanço da reunião ao VATICAN NEWS, destacando de modo especial a tradição do país em organizar eventos internacionais e, portanto, o profissionalismo, e o apoio por parte do Governo, com a participação no encontro do Presidente da República panamenho, Juan Carlos Varela. Padre Alexandre fala ainda dos desafios a superar, como a oferta de voos por parte das companhias locais para transportar subretudo os peregrinos latino-americanos.

No vídeo, o responsável pelo Setor Juventude do mesmo Dicastério, Pe. João Chagas, comenta os trabalhos e a participação brasileira no encontro, convidando à oração quem não puder estar presente no Panamá.

Na reportagem, é possível ouvir também o testemunho dos jovens brasileiros que participaram representando instituições e movimentos: Lucas Ricardo da Fazenda da Esperança, Daniele da Renovação Carismática Católica, Vitor Aragão do Shalom e Layla Kamila em nome da CNBB e dos Jovens Conectados.

Fonte:  https://www.vaticannews.va/pt/vaticano/news/2018-06/jmj-panama-juventude.html#play


Papa Francisco aceita renúncia de três bispos chilenos

Trata-se do arcebispo de Puerto Montt, dom Cristián Caro Cordero, e do bispo de Valparaiso, dom Gonzalo Duarte García De Cortázar, que apresentaram a renúncia por motivos de idade, e do bispo de Osorno, dom Juan Barros Madrid, que tira um ano sabático.

Cidade do Vaticano

O Papa Francisco aceitou, nesta segunda-feira (11/06), a renúncia ao governo pastoral da Arquidiocese de Puerto Montt, no Chile, apresentada por dom Cristián Caro Cordero, por motivos de idade, nomeando administrador apostólico “sede vacante et ad nutum Sanctae Sedis” da arquidiocese pe. Ricardo Basilio Morales Galindo, provincial dos Mercedários no Chile.

O Santo Padre aceitou também a renúncia ao governo pastoral da Diocese de Valparaiso, no Chile, apresentada também por motivos de idade, por Dom Gonzalo Duarte García De Cortázar, e nomeou administrador apostólico “sede vacante et ad nutum Sanctae Sedis” da diocese dom Pedro Mario Ossandón Buljevic, bispo auxiliar de Santiago do Chile.

Por fim, o Papa aceitou a renúncia ao governo pastoral da Diocese chilena de Osorno, apresentada por dom Juan Barros Madrid e nomeou administrador apostólico “sede vacante et ad nutum Sanctae Sedis” desta diocese dom Jorge Enrique Concha Cayuqueo, bispo auxiliar de Santiago.

Dom Barros tira um ano sabático.

Fonte: https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2018-06/papa-francisco-aceita-renuncia-tres-bispos-chilenos.html


Papa: nunca esquecer a dor indescritível da Shoah

Mensagem do Papa por ocasião do concerto “O sofrimento dos inocentes” na Filarmônica de Berlim pelo 40° aniversário da presença do Caminho Neocatecumenal na capital alemã.

Cidade do Vaticano

“A memória da violência atroz da Shoah nunca deve cessar, da dor indescritível e do extermínio de um povo.”

É o que escreve o Papa Francisco na mensagem por ocasião do concerto na Filarmônica de Berlim pelo 40° aniversário da presença do Caminho Neocatecumenal na capital alemã,assinada pelo Secretário de Estado, Cardeal Pietro Parolin.

Foi executada a sinfonia catequética de Kiko Argüello, iniciador do Caminho, intitulada “O sofrimento dos inocentes”, dedicada ao drama vivido pelos judeus no século passado.

“Arraigada na tradição e inspirada nas lamentações bíblicas, esta sinfonia recorda as vítimas da Shoah. Trata-se de uma advertência constante a todos nós por um compromisso com a reconciliação, a compreensão recíproca e o amor pelos ‘irmãos mais velhos’, os judeus e, ao mesmo tempo, com uma vida dedicada a quem sofre, aos necessitados e a todos aqueles que anseiam profundamente a salvação”.

A mensagem foi enviada ao Arcebispo de Berlim, dom Heiner Koch. As cerimônias pelos 40 anos do Caminho Neocatecumenal, realizadas na capital alemã nos dias 9 e 10 deste mês, contaram, além da sinfonia, com a celebração eucarística de ação de graças e com a apresentação do livro “Anotações” de Kiko Argüello.

Fonte:  https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2018-06/papa-nunca-esquecer-dor-indescritivel-shoah.html


Definido o programa da viagem do Papa à Irlanda. Confira

Papa Francisco irá a Dublin e Knock, na Irlanda, nos duas 25 e 26 de agosto, participar do IX Encontro Mundial das Famílias. Será a 24a viagem internacional do Pontífice.

Cidade do Vaticano

Foi divulgado na manhã de segunda-feira (11/06) o programa da viagem do Papa Francisco a Dublin, na Irlanda, nos dias 25 e 26 de agosto, quando vai participar do IX Encontro Mundial das Famílias.

“ O evento já conta com mais de 30 mil participantes inscritos de pelo menos 103 países ”

Já no sábado, Francisco participará da Festa das Famílias no Croke Park, e no dia seguinte, presidirá a missa de encerramento do encontro em Phoenix Park, também na capital.

Na agenda do Papa à Irlanda constam também outros momentos como a recitação do Angelus na Basílica do Santuário mariano de Knock, em County Mayo, a cerca de 200km, local que também acolheu o Papa João Paulo II em 1979.

Sábado, Francisco visitará um centro de acolhimento para famílias sem-casa, administrado por Frades Capuchinhos. E antes, terá audiências com o presidente irlandês, Michael Higgins, e com representantes das autoridades irlandesas, da sociedade civil e do corpo diplomático presente no país.

Como é comum nas viagens internacionais, o Papa irá encontrar-se com os bispos do país, no Convento das Irmãs Dominicanas, em Dublin, logo após a missa final.

Fonte: https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2018-06/programa-papa-viagem-irlanda-familias.html


Que os evangelizadores não sejam carreiristas

Na homilia da Missa celebrada na capela da Casa Santa Marta, o Papa Francisco refletiu sobre as três dimensões da evangelização: anúncio, serviço e gratuidade.

Barbara Castelli – Cidade do Vaticano

A evangelização tem três dimensões fundamentais: o anúncio, o serviço e a gratuidade. Foi o que sublinhou o Papa Francisco na homilia da Missa celebrada na manhã desta segunda-feira, 11, na capela da Casa Santa Marta.

Escolhas que não transformam o coração 

Inspirando-se nas leituras do dia, o Pontífice esclarece que o Espírito Santo é o “protagonista” do anúncio, que não apresenta uma simples “pregação” ou a “transmissão” de algumas ideias, mas é um movimento dinâmico capaz de “transformar os corações”, graças à ação do Espírito.

“Vimos planos pastorais bem feitos, perfeitos – precisa Francisco – mas que não eram instrumento de evangelização”, simplesmente porque eram finalizados em si mesmos, “incapazes de transformar os corações”:

“Não é uma atitude empresarial que Jesus nos manda ter, com uma atitude empresarial, não. É com o Espírito Santo. Isso é coragem. A verdadeira coragem da evangelização não é uma teimosia humana, assim… Não. É o Espírito Santo que nos dá coragem e leva você em frente”.

Na Igreja é preciso servir

A segunda dimensão da evangelização destacada pelo Papa, é a do serviço, oferecido também “nas pequenas coisas”.

Equivocada, de fato, é a presunção de querer ser servido depois de ter feito carreira, na Igreja ou na sociedade: “o subir na Igreja – acrescenta – é um sinal que não se sabe o que é a evangelização”: “aquele que manda, deve ser como aquele que serve”:

“Nós podemos anunciar coisas boas, mas sem serviço não é anúncio, parece, mas não é. Porque o Espírito não somente leva você me frente para proclamar as verdades do Senhor e a vida do Senhor, mas leva você também aos irmãos, irmãs, para servi-los. Também nas coisas pequenas. É feio quando nos deparamos com evangelizadores que se fazem servir e vivem para serem servidos. É feio. São como príncipes da evangelização”.

Gratuidade da evangelização

Por fim, a gratuidade, porque ninguém pode redimir-se pelos próprios méritos. “Gratuitamente recebestes – nos recorda o Senhor – gratuitamente deveis dar”:

Todos nós fomos salvos gratuitamente por Jesus Cristo e portanto devemos dar gratuitamente. Os agentes pastorais da evangelização devem aprender isto, a vida deles deve ser gratuita, a serviço, ao anúncio, conduzidos pelo Espírito. A própria pobreza os impele a abrirem-se ao Espírito”.

Fonte: https://www.vaticannews.va/pt/papa-francisco/missa-santa-marta/2018-06/que-os-evangelizadores-nao-sejam-empresarios-ou-carreiristas.html

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com