Notícias › 13/08/2018

Família Franciscana, centro-oeste paulista, realiza seu primeiro encontro

No último dia 11 de Agosto o Núcleo Centro-Oeste Paulista da Família Franciscana se reuniu pela primeira vez em Garça(SP), contando com a presença de 54 irmãos e irmãs, vindos de Agudos, Dracena, Pompéia e Garça, cidade anfitriã.

O encontro iniciou-se cedinho, às 8h, com um delicioso café e acolhida fraterna. Toda a parte da manhã foi dedicada para a abordagem do tema proposto:“Ano do Laicato – A dimensão missionária da Vocação Franciscana, numa Igreja em Saída”, tendo como base a Sagrada Escritura, o Documento 105 da CNBB e as Fontes Franciscanas. Quem nos ajudou com os desdobramentos deste tema foi a Ir. Ivone Lourdes Fritzen, Provincial das Irmãs Franciscana de Cristo Rei. Irmã Ivone falou-nos sobre a importância de termos a consciência de que “somos missão no mundo”: ser pobre com os pobres e para os pobres. Apresentando o Crucificado de São Damião e ressaltando que o Cristo Reina de olhos abertos, recordou-nos que temos que viver nossa espiritualidade e missão de “olhos abertos”, a fim de, a exemplo de Clara, olhar, considerar e contemplar o Cristo pobre nos pobres. “A espiritualidade Franciscana nunca é intimista, mas sempre comunhão, sempre procura tocar a carne sofredora do outro”, enfatizou.

Na parte da tarde, após o almoço, os irmãos e irmãs foram divididos em seis grupos, para fazer na prática, a experiência da missionariedade franciscana numa Igreja em saída, tão falada na parte da manhã. Quatro grupos visitaram quatro casas femininas de reinserção psiquiátrica, um grupo visitou o Hospital Psiquiátrico André Luiz e um grupo visitou algumas famílias em áreas de periferias existenciais. Todos puderam experimentar em suas vidas essa dimensão ímpar, própria da vida franciscana.

Ao final das visitas, todos se encontraram novamente e, juntos, rezaram o Oficio Divino das Comunidades, celebrando a festa de Santa Clara. Momento alto dessa celebração final foi a Recordação da Vida totalmente encarnada no chão dos que mais sofrem e que todos puderam pisar ou tocar! Que nossa Mãe Santa Clara clareie nossas consciências e, assim, possamos viver com autenticidade nossa missão franciscana numa Igreja em saída. Deus seja louvado por nosso recém-nascido núcleo!

Frei Zilmar Augusto, OFM

Disponível em: http://www.ofmscj.com.br/?p=10518

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.