Notícias › 25/06/2018

CPO: “Os Frades menores são chamados a viver o evangelho em fraternidade”

Super-heróis estão em toda parte nos dias de hoje! Muitos filmes apresentam heróis com poderes extraordinários, a maioria faz o bem e salva o mundo. Embora possamos admirá-los, continuamos a reconhecer que, em geral, eles são retratados como indivíduos que trabalham sozinhos e, em seguida, recebem todo o crédito por seus resultados incríveis. Mas não é assim que os irmãos são chamados para fazer a sua parte na construção do Reino de Deus. A missão só é possível se for baseada na unidade na diversidade e de uma abordagem cooperativa que valoriza os dons de cada um.

Esta foi uma das ideias destacadas pelos membros do Conselho Plenário, que estão agora no processo de resumir os pontos chave que surgiram nos últimos dez dias de trabalho. Sem dúvida, muitos ministérios novos e bem estabelecidos devem ser repensados ​​ou adequadamente implementados, mas é essencial que isso ocorra dentro do contexto da fraternidade.

Os frades menores são chamados a viver o Evangelho em fraternidade. Por muitos anos, a Ordem afirmou que somos todos irmãos e que vivemos e trabalhamos juntos como irmãos, trazemos o espírito de nosso carisma franciscano à Igreja e ao mundo.

Enquanto isso, nosso Ministro Geral, Michael Perry, OFM, observou que há casos de frades que se sentem isolados, outros que moram sozinhos e outros que são inquilinos, como se estivessem alugando um quarto no “Hotel São Francisco! ” Outro problema é que em algumas entidades, os irmãos leigos não podem participar plenamente da nossa missão comum de evangelização, como é seu direito em virtude do seu batismo.

Os membros do Conselho consideraram que a formação como “fraternidade na missão” deveria começar com os nossos programas de formação inicial e também ser promovida através da formação permanente, com especial atenção para se tornarem fraternidades contemplativas. Finalmente, as fraternidades internacionais têm um papel especial na promoção da diversidade e cooperação. A missão é realmente possível quando o Espírito se move no grupo de irmãos!

 

Começamos o dia com uma leitura da Legenda Maior de São Boaventura sull’elogio a virtude da pobreza a que somos chamados a romper com lugares, pessoas, ideias e qualquer coisa que está entre nós e Cristo nos chamou. Frei Manuel, secretário geral da CPO, guiou-nos na eleição do terceiro membro da comissão econômica, conforme requerido pelo artigo 19 do Regulamento CPO.

O conjunto CPO foi então lembrado por Frei Júlio, o Vigário Geral da Ordem, sobre a avaliação do cumprimento das decisões do Capítulo Geral 2015. Os vários aspectos que ele tem tratados podem ser encontrados nas últimas páginas CPO brochura. Sua apresentação foi seguida por uma discussão aberta da Assembleia, oferecendo um feedback sobre a situação da Ordem e fazendo perguntas ao Ministro Geral e seu Vigário que responderam adequadamente.

O dia terminou visitando a fraternidade Santo Antônio de Pádoa em Langata, uma casa de treinamento na Província de São Francisco da África Oriental, Madascar e as Ilhas Maurício. Foi-nos oferecida uma recepção fraterna caracterizada pela partilha livre com os frades e culminando em um jantar compartilhado.

Depois do tempo sereno e alegre dedicado à celebração eucarística e à oração de louvor, pudemos desfrutar do necessário descanso matinal e, após os parabéns e condolências aos irmãos envolvidos diretamente na partida de futebol da noite anterior, iniciamos o trabalho marcado para hoje. sexta-feira.

Os conselheiros e membros da equipe já haviam recebido ontem os primeiros três das seis páginas onde você coletar a síntese das contribuições “World Cafe” Grupo em relação aos sete temas já tratados. O trabalho dos próximos dois dias será composto de diálogos em pequenos grupos e terá como argumentos os resultados, deficiências e os esclarecimentos ou correções necessárias solicitadas por estas páginas para alcançar tudo em viva voz com o Ministro geral e seu Vigário.

O objetivo das sete seções de trabalho, uma para cada tema discutido acima, é ser capaz de elaborar um documento contendo sugestões, diretrizes e, por que não, fazer algo de inspiração e assim ajudar o Governo da Ordem no trabalho de animação da vida de todos os frades. Os temas tratados (migrantes e refugiados, crise ambiental, sendo promotores da paz em um mundo violento, jovens, identidade e missão franciscana …) são de tal abertura que requerem ações extraordinárias e generosas a partir de uma profunda reflexão e pelo discernimento sério.

Embora as reuniões do Consilium Modernas e o trabalho de não poucos funcionários continuassem durante a tarde, a maioria dos irmãos teve tempo de visitar a Casa da Espiritualidade de Dimesse.

 

Fonte: http://www.ofmscj.com.br/?p=9804

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.