Notícias › 11/10/2017

Blumenau faz a maior festa religiosa

Moacir Beggo

Uma das maiores festas do mês de outubro, a Oktoberfest, acontece em Blumenau. Mas nem tudo na cidade, fortemente marcada pela colonização alemã, é tradição, folclore e cerveja. É também fé e devoção na Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, que será homenageada no seu Santuário e Paróquia, no bairro Itoupava Norte, de 8 a 12 de outubro.

Esta festa em homenagem à Padroeira também celebra o Jubileu de 300 anos de Nossa Senhora Aparecida, que teve sua imagem encontrada no ano de 1717 por pescadores do Rio Paraíba do Sul. “Neste ano, a Imagem de Nossa Senhora Aparecida Peregrina está passando pelas Paróquias e Comunidades da Diocese. Ela chega no Santuário, trazida pelo Bispo diocesano, Dom Rafael Biernaski, no dia da festa. Devido a este grande momento histórico da fé no Brasil, imagino que esta festa terá a maior participação popular de todos os anos”, acredita o pároco e reitor Frei Nélson Hillesheim.

Segundo Frei Nélson, a Festa de Nossa Senhora Aparecida no Santuário é a maior manifestação religiosa de Blumenau, em todos os sentidos. “Só não é maior por falta de espaço”, garante o pároco, explicando que as festividades religiosas começam com o Tríduo nos dias 8, 9 e 10 de outubro, com a celebração das 19 horas. “Nesses dias, a festa se limita à comunidade, mas no dia 12 o que se observa é que muita gente da região, que não tem condições e não pode ir à Aparecida, vem para a festa aqui para pagar promessas e pedir bênçãos”, explica Frei Nélson, acrescentando que muitas Paróquias da região fazem romaria até o Santuário.

O TRÍDUO

O Tríduo religioso em honra à Padroeira do Brasil e do Santuário começa no dia 8 (domingo), na Celebração Eucarística das 19 horas, quando o Frei Pascoal Fusinato, o celebrante deste dia, vai falar sobre o tema “Maria, Mãe que nos leva a Jesus”. Caberá à Catequese a animação litúrgica. Fora da igreja, é dia de saborear o delicioso pastel preparado pela comunidade.

No segundo dia do Tríduo, 9 de outubro (segunda), também às 19 horas, Frei José Bertoldi celebra a Santa Missa e fala sobre o tema “Maria, Mãe Evangelizadora”, tendo a participação e animação litúrgica deste dia dos Movimentos e Pastorais do Santuário, como Terço dos Homens e das Mulheres, Catequistas, Ministros, equipes da Liturgia, Apostolado da Oração, Renovação Carismática e Grupos de Reflexão. Após a Missa, Noite do Pastel.

No terceiro dia do Tríduo, 10 de outubro (terça), Frei Pascoal Fusinato presidirá a Celebração Eucarística, que terá a participação de empresários, comerciantes, do Movimento Lareira, Clube de Mães, coordenadores e equipes da Festa, comunidades e CPC do Santuário. Bingo e macarronada são atrações fora da igreja.

FESTA DA PADROEIRA

A Padroeira começa a ser festejada na véspera, com a Santa Missa, às 19 horas, presidida pelo pároco Frei Nélson, que vai falar sobre o tema “Maria, Mãe da Solidariedade, do Amor”, e a presença dos padrinhos, patrocinadores e comunidade. Às 11 horas, contudo, começa o churrasco e, a partir das 16 horas, todas as atrações.

No dia 12, DIA DA PADROEIRA, a programação é intensa, a começar com a Carreta que sairá da Catedral até o Santuário, às 8 horas, carregando a imagem de Nossa Senhora o bispo diocesano Dom Rafael Biernaski e o pároco da Catedral São Paulo Apóstolo, Pe. João Backmann.

Na chegada ao Santuário, prevista para as 9 horas, tem início a Missa Solene, presidida por Dom Rafael. Às 11 horas, Dom Rafael e Pe. João sobrevoarão o Santuário de helicóptero, abençoando os peregrinos e devotos. Está prevista uma “chuva” de mantos de Nossa Senhora e pétalas de rosa.

Às 15 horas, Frei José Bertoldi preside mais uma Santa Missa e Frei Pascoal encerra a festa às 19 horas.

 

UM POUCO DE HISTÓRIA

A primeira capela de Nossa Senhora Aparecida foi fundada em 1953. Antes disso, as Missas eram celebradas em uma escola. No início, a comunidade foi atendida pelos Frades Franciscanos da Paróquia São Paulo Apóstolo. A vida espiritual teve início com o atendimento religioso regular, administração dos sacramentos e a fundação de Movimentos como a Legião de Maria ainda em 1953, ao mesmo tempo que já se faziam promoções e campanhas para angariar fundos visando a construção da nova igreja.

Pelo constante crescimento do bairro Itoupava Norte e pelos insistentes pedidos de Frei Francisco Freise, o bispo de Joinville, Dom Gregório Warmeling, criou a Paróquia aos 8 de maio de 1965 e, no dia 12 de outubro de 1997, foi criado e instalado o Santuário Nossa Senhora Aparecida, por Dom Orlando Brandes.

Além da Fraternidade – formada por Frei Nélson, Frei Pascoal e Frei José -, o Santuário conta com dois diáconos: Alcebíades Roncáglio e Moacir Gazaniga, que também atendem as comunidades:  Santa Maria, São João Maria Vianney, São João Batista e São José.

ENDEREÇO

Rua Paris, 150 – Itoupava Norte

Caixa Postal 4525 – CEP 89 052-510 – Blumenau – SC

Fone/Fax (47) 3323-3236/3378- 3930

e-mail: santuarioaparecida@terra.com.br

 

Tudo pronto para a Festa de Nossa Senhora Aparecida

Moacir Beggo

 Blumenau (SC) – A festa devocional no Santuário Nossa Senhora Aparecida, em Blumenau, começou no domingo com o Tríduo, mas as festividades externas começam para valer nesta quarta-feira, véspera do dia da Padroeira do Brasil. Um grande galpão foi armado para acolher as oito mil pessoas que devem passar pelo local para apreciar o churrasco, macarronada e pastel.

O pároco Frei Nélson José Hillesheim acredita que, devido ao jubileu dos 300 anos de Aparecida, esta será uma das maiores manifestações de fé no Santuário. “Nesse momento tão rico de nossa fé e da Igreja, que celebra os 300 anos de Aparecida, também queremos demonstrar nosso carinho muito especial por Nossa Senhora, a Mãe de Jesus Cristo e Nossa Mãe. E nós, aqui no nosso Santuário de Blumenau, já começamos as celebrações. É um momento muito rico, de festa e de alegria. Esse é o grande encontro das comunidades”, destaca Frei Nélson.

Para o pároco, o povo terá oportunidade de manifestar a sua fé à Padroeira do Brasil neste Santuário. “A imagem de Nossa Senhora, que veio de Aparecida, encerra a peregrinação que fez pela Diocese no Santuário, neste dia 12″, diz o pároco, recordando a importância deste jubileu mariano. “Em 1717, uma imagem simples e quebrada transformou a fé de um povo até receber o título de Padroeira do Brasil. Três pescadores – João Alves, Felipe Pedroso e Domingos Garcia – foram encarregados de conseguir peixe para o banquete que a Vila de Santo Antônio de Guaratinguetá iria oferecer a Dom Pedro de Almeida e Portugal, o Conde de Assumar, que na época também era o Governador da Província de São Paulo e Minas Gerais, e estava visitando a região. Depois de várias tentativas de pesca, os pescadores estavam desesperados porque não conseguiam peixes. Mas depois de fazerem uma oração, lançaram as redes e encontraram o corpo e, em seguida, no rio abaixo, a cabeça. Quando lançaram novamente as redes, ela veio cheia de peixes. Foi o primeiro milagre”, explicou.

Segundo o frade, começou ali uma devoção que ganhou o Brasil mais tarde. “A Mãe Aparecida cobria o Brasil de bênçãos e milagres, como pode ser visto na impressionante Sala de Milagres em Aparecida”, acrescentou Frei Nélson.

“Ela é nossa grande Mãe e intercessora, que cuida sempre dos seus filhos. Eu tenho a grata satisfação, quando estou celebrando a novena a Nossa Senhora Aparecida, todas as quartas-feiras, de ouvir testemunhos da fé em Maria”, revela o frade. Frei Nélson enfatiza a proximidade de Maria para o povo. “Ela é um referencial. A sua obediência a Deus é um exemplo de fé. Mesmo sendo ainda jovem, foi obediente à vontade de Deus. O seu ‘sim’ mudou a história da humanidade. Maria sempre se colocou na dimensão do Filho. Maria conhece bem o coraçao de seus filhos porque conheceu o coração de seu Filho. Por isso, ela intercede por nós, nos acolhe, nos defende. Maria nos indica o caminho de seu Filho Jesus”, reflete o pároco.

FESTA DA PADROEIRA

A Padroeira começa a ser festejada na véspera, com a Santa Missa, às 19 horas, presidida pelo pároco Frei Nélson, que vai falar sobre o tema “Maria, Mãe da Solidariedade, do Amor”, e a presença dos padrinhos, patrocinadores e comunidade. Às 11 horas, contudo, começa o churrasco e, a partir das 16 horas, todas as atrações.

No dia 12, DIA DA PADROEIRA, a programação é intensa, a começar com a Carreta que sairá da Catedral até o Santuário, às 8 horas, carregando a imagem de Nossa Senhora o bispo diocesano Dom Rafael Biernaski e o pároco da Catedral São Paulo Apóstolo, Pe. João Backmann.

Na chegada ao Santuário, prevista para as 9 horas, tem início a Missa Solene, presidida por Dom Rafael. Às 11 horas, Dom Rafael e Pe. João sobrevoarão o Santuário de helicóptero, abençoando os peregrinos e devotos. Está prevista uma “chuva” de mantos de Nossa Senhora e pétalas de rosa.

Às 15 horas, Frei José Bertoldi preside mais uma Santa Missa e Frei Pascoal encerra a festa às 19 horas.

Fonte: http://www.franciscanos.org.br/?p=143776

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com